Estanislao Fernández carrega um visual inspirado no mundo dos cosplayers



Eleito como novo presidente da Argentina, Alberto Fernández é pai de Estanislao Fernández, de um relacionamento anterior, que se apresenta como drag queen em festas em Buenos Aires.

A persona dele é conhecida pelo nome de Dyhzy e carrega um visual inspirado no mundo dos cosplayers. "Estava me relacionando com uma garota que fazia cosplay e comecei a me interessar. Foi assim que comecei a me fantasiar e, ao mesmo tempo, conheci o mundo das drag queens", disse Estanislao.

Mesmo se considerando um homem gay, o filho do novo presidente da Argentina namora uma menina há quatro anos. Para Estanislao, a sexualidade é fluída e a relação dele com a moça é uma escolha. 

A namorada, a fotógrafa Natalia Leone, acompanhou Estanislao na noite do último domingo (27) na festa de vitória do pai. 

O jovem cursou ilustração na Universidade de Palermo, onde foi premiado por trabalhos relacionados a redes sociais e quadrinhos. A instituição também o celebrou por causa do trabalho fotográfico "O poder da Maquiagem".

Hoje, Estanislao tem mais de 110 mil seguidores no Instagram e, por fazer uma drag queen muito inspirada pela cultura pop, é conhecido na cena cosplayer de Buenos Aires e já participou da Comic Con Argentina, maior evento do tema do país. Autor e produtor de seus próprios figurinos, ele já apareceu como uma versão sensual do Pikachu, de "Pokémon", de Wario, antagonista do jogo "Mario Bros", e de Arlequina, do filme "Esquadrão Suicida". No entanto, nem sempre ele foi tão aberto sobre o seu hobby. "No começo, me escondia um pouco, tinha medo da rejeição dos meus pais", contou Estanislao à rádio "La Once Diez". 

Por trás da make, Estanislao é estudante da Universidade de Buenos Aires, onde o pai é professor da Faculdade de Direito, e também trabalha esporadicamente como entregador da plataforma Rappi para completar sua renda. 

Orgulho do pai Em entrevista à rádio "Radio com Vos", Alberto Fernández, que ganhou a eleição preliminar à presidência da Argentina, disse não tem medo da rejeição por causa de seu filho e que o rapaz é "um grande homem". "Nesse mundo [de drag queen], que não conheço muito, ele é muito respeitado e reconhecido. Tenho orgulho do meu filho. Como não vou tê-lo? Ele é militante dos direitos dessa comunidade. Ficaria preocupado se meu filho fosse um delinquente", declarou.